Cinema - Ghostbusters: Mais Além - Respeito e Inovação na Medida Certa!


 
Por volta de 1987, as manhãs da TVs brasileiras eram infestadas de desenhos animados em quase todos os seus canais. Na rede Globo, no hoje extinto Xou da Xuxa, passava um desenho de quatro caras, com umas armas legais e com muito humor e que eles caçavam fantasmas. Tinha um desenho de mesmo nome no SBT, que era conhecido por comprar produtos similares da concorrência, mas os Caça-Fantasmas (The Real Ghostbusters) eram únicos e diferentes.  Egon Spengler, Peter "Pete" Venkman, Raymond "Ray" Stantz e Winston Zeddemore eram puro carisma e com designs sólidos e coloridos aliados a uma bela animação, conquistaram uma legião de fãs por aqui.

 O que não sabíamos era que esse desenho animado era inspirado em um filme. Filme esse que finalmente foi trazido pra TV aberta, um evento que fez muitas obras tornarem mais populares ainda quando ganhavam as suas versões dubladas pra toda a população. Exibido nos cinemas em 1984, o filme dos Caça-Fantasmas(The Ghostbusters) foi exibido na TV Aberta em 1989 e angariou mais uma legião de fãs. Fãs esse que ganharam em 1989, uma continuação nos cinemas, Os Caça-Fantasmas 2.

O tempo passou e o quarteto que corria atrás de fantasmas foi caindo no esquecimento. Só nos anos 2000 eles voltaram ,nas histórias em quadrinhos da editora IDW, mas longe das telonas. Em 2016 tentaram renovar tudo, com um elenco feminino, em um projeto que falhou miseravelmente em todos os aspectos. A falta de reverência aos filmes originais e um filme que era de baixíssima qualidade, quase derrubou a marca de vez. Até que em 2019, o diretor Jason Reitman ,filho de Ivan Reitman , o criador e diretor do filme original de 1984, decidiu assumir o legado do seu pai e contar mais uma história dos Caça-Fantasmas.

Ghostubusters-Mais Além mostra a história de Callie ,mãe solteira que precisa se mudar pra uma cidade do interior a fim de assumir a casa de seu pai e fugir da falência. Os seus filhos ,Phoebe e Trevor precisam se adaptar a essa nova condição e acabam tendo que descobrir os segredos e mistérios que seu avô guardava nessa velha casa e na cidade.

O longa de Reitman tem grandes desafios à frente: Renovar a franquia, criando um novo caminho pra ela. Ser reverente e respeitosa com o seu material fonte e com os fãs veteranos e também retirar a impressão péssima que o filme anterior deixou no grande público. 

Pra isso, o roteiro aposta pesado na construção de personagens novos,que de forma calma e tranquila, são mostrados e construídos, e que aos poucos, junto com o espectador, vão descobrindo os mistérios e desafios que eles terão de enfrentar nessa aventura. Com essa escolha narrativa, temos tempo de entender a  paixão da Phoebe por ciência, as dores e anseios de Trevor ,um jovem fervilhando de hormônios e como Callie, a mãe de ambos, é uma pessoa que mesmo com muitas derrotas na vida, consegue seguir em frente, mesmo com sérios traumas familiares. Nessa jornada pessoal, novos personagens surgem, como o pequeno Podcast, que se torna amigo da Phoebe e Lucky ,que ajuda Trevor a se enturmar com a galera jovem e no trabalho da lanchonete da cidade.

Nessa jornada o espectador é gradualmente apresentado as regras desse cenário, que aos poucos vai mostrando o que é o medidor de energia fantasmagórica, a armadilha  a mochila com feixe de prótons e o famoso Ecto-1. Todos os equipamentos estão lá, atualizados e reverentes. O roteiro tem o cuidado de mostrar que há uma cronologia e que o filme atual é ligado aos anteriores, mas o faz com o cuidado e dose certa pra que os novos expectadores entendam o que houve. Além disso, quando cada descoberta é apresentada em tela, é bonito de ver como esse é um momento único na narrativa, porque temos a recompensa de um caminho percorrido e que valeu a pena a estrada percorrida pra isso.

O bom uso de referências e novidades segue bem por todo o primeiro e segundo atos e que culminam muito bem no terceiro ato ,que consegue apresentar muito a culminância do que foi construído, dando o peso certo pras ameaças que o roteiro propôs e recompensa muito bem o expectadores  novos e veteranos.

Esse mundo é gratamente reconstruído graças ao excelente trabalho de design de produção. Mesmo atualizados, os equipamentos estão fidedignos e o trabalho de som é excelente. A fotografia sabe explorar muito bem esse grande cenário que é o campo estadunidense, como também é bem utilizada quando é necessaria pra engrandecer momentos do filme, com o uso preciso de closes  e contra-plongées e a ação do filme é cristalina, firme e bem narrada. A edição traz os cortes precisos e não cai na armadilha da shaky cam.

Tudo isso funciona muito bem graças a dupla de protagonistas que o filme apresenta. Mckenna Grace mostra a sua Phoebbe como uma criança deslocada. Ela é claramente mais inteligente que todos ao seu redor, mas isso faz com que ela tenha dificuldades sociais, além de tiradas ácidas de vez em quando. Essa personalidade se completa com o solar e elétrico Podcast. Logan Kim é carisma puro. Tagarela ,esperto e também incrivelmente inteligente, ele e Phoebe, se completam . Do outro lado temos Trevor de Finn Wolfhard e a Lucky de Celeste O´Connor ,como os mais velhos e não nerds que acabam entrandam na correria maluca dos pequenos. O elenco adulto é eficaz em dar mais solidez pro longa, como a Callie que Carrie Coon mostra em tela, é uma grande mãe, graças aos traumas do passado, mas que mesmo nas falhas da vida, procura cuidar da melhor forma os seus filhos. Paul Rudd quase rouba o filme com o seu já habitual carisma e o seu Professor Gooberman é o fanboy que narra bem os eventos do passado. O filme tem boa surpresas guardadas e que não falarei por serem spoilers.



Respeitando o passado e abraçando o futuro, Ghostbusters-Mais Além é a nova entrada no mundo dos Caca-Fantasmas que diverte e emociona na medida certa, graças a um elenco afinado e uma excelente construção de cenário.

É uma continuação/recomeço que vai agradar fãs clássicos e novos públicos.

Ah...há duas cenas pós-créditos aqui.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinema- O Esquadrão Suicida - Maior, Melhor e Sem Limites!

HQs - HERÓIS RENASCEM (Heroes Reborn) - A ousada cartada da Marvel nos anos 1990!!!

O Bem, o Mal e a X-Force